Terminais do Eixo Anhanguera abrem para testes gratuitos de glicemia aos passageiros

A doença é silenciosa e causa o aumento da glicemia no corpo. A alta taxa glicêmica provoca incômodos que podem ser sentidos no coração, artérias, olhos rins e nervos. A prevenção pode salvar vidas. Aproximadamente 200 mil pessoas utilizam por dia o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia e a Metrobus em conjunto com a Indústria Química do Estado de Goiás (Iquego) decidiram se mobilizar para levar aos Terminais de ônibus do Eixo Anhanguera exames de glicemia gratuitos aos passageiros que utilizam o serviço. A ação aconteceu na última quinta-feira (13/11) e foi parte da celebração do Dia Mundial de Combate ao Diabetes, que também contou com o apoio do Governo do Estado de Goiás e da Secretaria Estadual de Saúde. No total, foram quase 500 atendimentos ao longo de todo o dia em ambos os Terminais.

Durante toda a manhã no Terminal Padre Pelágio e à tarde no Terminal Novo Mundo, os clientes que utilizam o serviço de transporte público em Goiânia puderam realizar os testes de glicemia além de poderem fazer aferição de pressão arterial. O teste era realizado de forma rápida e prática: com apenas uma gotícula de sangue colhida para análise no aparelho aferidor, o resultado poderia ser observado em alguns segundos.

Projeto piloto: mais ações nos Terminais

Tinha gente que já queria fazer o teste há algum tempo mas a correria da vida não permitia. A aposentada Maria Selma estava de passagem pela Estação. “Já queria fazer o teste e tá sendo muito bom porque não vou ter que ir em um postinho”.

Aos sorrisos, ela diz que quase não pega ônibus e por isso praticamente nunca passa pelos Terminais. “Então eu dei sorte, apesar da fila estar grandinha, mas eu vou esperar…”, disse aos risos. “É importante que essas ações se repitam mais vezes até porque esse Terminal aqui é muito grande”, pontuou. Ela fez o exame e seguiu viagem para o Jardim América.

A sugestão de Maria pelo visto será atendida. Ao menos é o que garante o presidente da Metrobus, Paulo César Reis. Segundo ele, este será apenas o pontapé inicial para vários outros projetos dentro dos Terminais. “Estamos neste momento abraçados com a Iquego num projeto piloto de levar esses testes de glicemia aos terminais do Eixo Anhanguera. Vamos repetir esta mesma ação novamente e já temos outras intervenções planejadas em conjunto com outros órgãos do Estado”, explicou.

“Favorece muito”, afirma aposentado

Naquele aglomerado de pessoas também estava o carpinteiro aposentado Juvenil Nogueira que já é um senhor e carrega a juventude em seu nome nos altos dos seus 85 anos. Ao menos uma semana passa pelo Terminal Padre Pelágio. Quando soube da ação, não pensou duas vezes em dar uma esticada na viagem. “Ontem eu andei o dia inteiro tentando fazer esse exame aqui. Foi uma oportunidade pra mim aqui. Pra nós é uma coisa boa. Favorece muito.”, comentou.

Favoreceu até para quem já tem diabetes. Marcos Silva Rodrigues tem 51 anos e é vendedor. Diagnosticado já há algum tempo com diabetes foi ver como estava sua taxa de glicemia. O resultado foi alto e acabou ligando o sinal de alerta para o passageiro. “Eu tomo insulina pela manhã e à tarde e ainda está alta. Eu fui alertado que eu preciso voltar ao médico para ver o que eu faço”, pontuou.

A correria e a falta do tempo atrapalham, segundo o vendedor. Então, levar esse tipo de ação aos passageiros do transporte coletivo é fundamental e considerou uma “caridade”. “A gente nem sempre tem tempo pra isso. Nos terminais é ótimo, alertar as pessoas. Isso é até uma coisa de Deus, por assim dizer. É uma caridade. Ótimo isso…”, concluiu.

O presidente da Iquego Denes Pereira, concorda que o trabalho de prevenção nos terminais de ônibus é de suma importância para a população goiana. Trata-se de um trabalho de utilidade pública. "As pessoas ficam extremamente satisfeitas com o serviço. Gratas pela oportunidade de realizar um exame tão simples, mas que pode salvar vidas. Porque é um alerta para quem precisa se cuidar mais", pontuou.

Para Denes, ações que atendem um grande volume de pessoas, são cruciais para se ter um panorama da doença nas populações assistidas de forma útil e prática.

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.