Confira artigo do presidente da Metrobus publicado no jornal O Popular

A chegada de um veículo 100% elétrico ao Eixo Anhanguera traz à pauta do transporte público de Goiás muito mais do que aparenta sob um primeiro olhar. Além do notório marco no que tange a preocupação com o meio ambiente - serão, no mínimo, menos 110 toneladas de CO2 liberadas por ano na região metropolitana de Goiânia, caso o projeto seja totalmente implementado - e do conforto inerente para o usuário, por se tratar de um veículo novíssimo e moderno, há toda uma mudança de conceito no transporte coletivo, uma gestão arrojada e disposta a romper com modelos ultrapassados.

O pioneirismo de Goiás no projeto de implantação de uma frota elétrica dessa magnitude - o plano é que todos os 86 veículos tradicionais de nossa frota sejam substituídos por mais de 100 veículos elétricos novos - mostra a visão moderna da gestão do Governador Ronaldo Caiado quando o assunto é o cotidiano do trabalhador, do estudante, das famílias goianas. As viagens serão mais regulares, seguras, silenciosas e confortáveis.  

Numa comparação simples com as duas tecnologias que estão no mercado - diesel e elétrico - fica muito claro que a segunda leva vantagem em tudo, segundo diversos estudos pelo mundo. O modelo que utiliza bateria é menos poluente, o custo de operação é menor, assim como o de manutenção por ter menos componentes mecânicos, tem melhor eficiência energética do motor e é fonte renovável de energia. Além disso, os veículos são climatizados e equipados com carregadores de celular.

O modelo que entrou em período de 30 dias em testes em Goiânia tem vários recursos que vão ajudar muito os motoristas no dia a dia. O veículo está equipado com seis câmeras de alta definição, duas delas com infravermelho, em substituição aos retrovisores externos e internos. As câmeras permitem enxergar os pontos cegos e garantem uma facilidade maior na manobra, aumentando a segurança dos passageiros, de outros motoristas e dos pedestres.

As portas seguem rigorosos padrões de segurança e são equipadas com sensores, o que evita que se fechem quando é identificado qualquer movimento próximo. Esta funcionalidade deve otimizar o momento de embarque e desembarque. Outro diferencial é que o veículo é ionizado, tecnologia contra disseminação de vírus e bactérias. O ar-condicionado segue o conceito aeronáutico, ou seja, há renovação completa de ar a cada três minutos. 

Os investimentos do Governo de Goiás são certeiros, feitos com planejamento e estudo aprofundado. Nosso Estado já mostra sua força na Educação, na Segurança, na Saúde. Chegou a vez do Transporte Público. O momento é este e iremos cumprir a missão dada pelo Governador. Goiás será o modelo a ser seguido em todos os Estados brasileiros também neste importante serviço público que move nossas vidas, nossa economia e nosso bem mais precioso: os cidadãos e cidadãs de nosso Estado.

 

Francisco Caldas

Presidente da Metrobus, engenheiro civil, mestre em Computação Aplicada pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Doutor em Finanças pela FGV-RJ

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.