“Papai Noel do Eixão” entrega 30 kgs de doces e balinhas para passageiros do Eixo Anhanguera

Diz a conhecida lenda que o Papai Noel levava presentes para crianças bem-comportadas na noite da véspera de Natal. Então, no dia 24 de dezembro, sentado em um trenó guiado por renas, São Nicolau realizava à entrega dos brinquedos aos pequeninos que não haviam feito nenhuma peripécia nem dado tanta dor de cabeça aos pais durante o ano. A estória natalina pode apenas ser uma fantasia para encantar as criancinhas mas serviu para muita gente se inspirar e fazer a diferença no mundo.

O motorista da Metrobus José Antônio Pereira fez de um ônibus do Eixo Anhanguera seu trenó e entre os dias 23 a 25 de dezembro deste ano fez a alegria de quem entrava no ônibus que dirigia. Aos 56 anos, o “Papai Noel da Metrobus” ou “Papai Noel do Eixão”, utiliza a fantasia do Bom Velhinho há 19 anos. “Tudo começou com uma brincadeira há muitos anos. Disseram que eu estava gordinho na época. Fizeram o desafio e me deram a roupa de Papai Noel. Acabou que saí uma vez e os passageiros gostaram. Todos ficaram muito alegres. Desde então, nunca mais deixei de sair nesta época do ano”, relembra.

Por trás da barba natalina, o sorriso do pai do João (Foto: Domingos Ketelbey)
Por trás da barba natalina, o sorriso do pai do João (Foto: Domingos Ketelbey)

Em todas as viagens, como o bom velhinho, José carrega um saco de doces e balas. Este ano, ele chegou a entregar 30 kgs de guloseimas aos passageiros. “Todos se encantam quando me veem. É criança e adulto. Acho até que os adultos se emocionam mais!”. 

Dada a peculiaridade da fantasia, o Papai Noel da Metrobus já é assediado nas redes sociais e tem seus fãs que sempre que o período de final de ano se aproxima cobram a presença do Bom Velhinho no “Trenó do Eixão”. “Eles me procuram nas redes sociais. Me perguntam o dia que vou rodar. Eu já me acostumei, gosto de fazer isso. Eles mesmos falam que a Metrobus sem Papai Noel não tem graça”, revela. Trata-se de uma marca registrada de José Antônio. “Eu fico muito contente em levar isso ao usuário do Eixão”, menciona.

De cara limpa, José Pereira trabalha há 21 anos na Metrobus (Foto: Domingos Ketelbey)
De cara limpa, José Pereira trabalha há 21 anos na Metrobus (Foto: Domingos Ketelbey)

Por trás da barba e da fantasia, José Antônio conversa de modo paciente e tranquila. Anda sem pressa. Conta que seu filho que tem 13 anos e fica todo orgulhoso quando vê o pai fantasiado. “Ele acha a maior maravilha. Ele tira foto, mostra pros coleguinhas. Fala que é filho do papai noel!”.

O filho João Antônio Pereira Rocha, inclusive, já chegou a acompanhar o pai no Eixão. “Eu vestia ele de duende e ele ficava todo animado. Era a alegria dele e dos usuários”, rememora.

A lenda natalina em torno do Papai Noel pode até ser uma bonita fantasia. Mas o “Papai Noel do Eixão” é uma realidade. José Antônio conta que já chegou a distribuir 50kgs de guloseimas para as crianças em outros anos e já está na expectativa do próximo Natal. “Se Deus quiser, eu vou ter bastante saúde para ano que vem fazer o mesmo serviço. Natal sem o Papai Noel do Eixão não tem graça nenhuma!”, brinca.

José Pereira distribuiu 30kgs ao longo de três dias vestido de Papai Noel, este ano.
José Pereira distribuiu 30kgs ao longo de três dias vestido de Papai Noel, este ano.